LOGO Xerimbabo Padrão Fundo Preto.jpg

Criadouro Comercial de Fauna Silvestre

Reg. IBAMA 434325 – AM/SEMAS 301509


Estrelas.png
ESPÉCIES CRIADAS

 

Estrelas.png
Salamanta amazônica

Epicrates cenchria cenchria

 

 

Outros nomes vulgares: Jibóia-vermelha, suaçu, jibóia-arco-íris, brazilian rainbow boa (ing.).

 

 

 

Distribuição geográfica: Leste da Venezuela, Guianas e região Amazônica do Brasil e Peru, em lugares úmidos das matas e capoeiras próximas de rios e igarapés.

 

 

História natural: De coloração predominantemente vermelha no dorso, com manchas arredondadas negras e ventre branco, essa serpente é considerada uma das mais bonitas. A denominação de jibóia-arco-íris se deve ao seu reflexo brilhante iridescente sob o sol, com tons verdes e azuis, originado por suas escamas, como se fosse uma fina camada de óleo sobre a água. Possui hábitos semi-arborícolas e terrestres e está sempre próxima a troncos, pedras ou arbustos.

 

Por ter hábitos semi-arborícolas e terrestres, sua alimentação consiste de ratos-do-mato e pequenas aves. Sua maior atividade é durante a noite.

 

Apresentam comportamento agressivo e dificilmente aceitam manuseio. É preciso muita atenção e cuidado para manusear essa cobra, inclusive durante a limpeza dos recintos. Seu corpo é bastante robusto e pode chegar a medir 1,3 m.

 

Espécie vivípara, dá à luz de 15 a 30 filhotes totalmente formados. A gestação pode durar de quatro a oito meses.


Além da experiência diária na criação de boídeos, as informações aqui apresentadas foram coletadas na seguinte bibliografia:

 

CUNHA, Osvaldo Rodrigues & NASCIMENTO, Francisco Paiva de, 1978. "Ofídios da Amazônia. X - As cobras da região leste do Pará". Belém, Museu Paraense Emílio Goeldi, 218 p. (Publ. Avulsas, 31).

 

FRANCISCO, Luiz Roberto, 1997. "Répteis do Brasil: manutenção em cativeiro". São José dos Pinhais: Amaro. 208p.

 

MEHRTENS, John M., 1987. "Living Snakes of the World in Color". Sterling Publishing Co., Inc. New York.

 

ROGÉ, Jean-Pierre & SAUVANET, Jany, 1987. "Les Serpents". La Documentation Guyanaise. Cayenne: Saga.

 

ROSS, Richard A. & MARZEC, Gerald, 1990. "The Reproductive Husbandry of Pythons and Boas". Institute for Herpetological Research, Stanford, California.

 

STIDWORTHY, John, 1993. "Serpentes". 3ª Edição, São Paulo: Melhoramentos - (Prisma).